Sílvio BenficaApresentação

Dos 48 anos de vida de Sílvio Luis Gomes Benfica, 33 anos de rádio. Atual apresentador do programa Plantão Gaúcha, um dos principais e mais experientes repórteres da Rádio Gaúcha nasceu no dia 11 de dezembro de 1954. Foi através do pai, Argeu Gomes Benfica, que nasceu o interesse em trabalhar no veículo de comunicação que, mesmo com o surgimento da televisão, jamais perdeu seu espaço na sociedade e na história.

Benfica não vê a possibilidade de desempenhar outra profissão além da que exerce há 33 anos. O único emprego, além do de radialista, foi como atendente de cartório, pois precisou ajudar no sustento da família logo que o pai morreu. Ele chega a admitir que, se não trabalhasse com rádio, poderia ser contador, pois, em 1976, se formou como técnico em contabilidade. Sílvio Benfica começou sua carreira em sua cidade natal, Osório, na Rádio Osório. Era operador de som e produtor do próprio pai. Aos 18 anos, teve o primeiro contato com o microfone, lendo comerciais nos programas. Em 1980, decidiu sair de Osório. Veio para a Rádio Farroupilha, onde trabalhou durante um curto período. Retornou a Osório para, somente em 84, começar sua carreira na Rádio Gaúcha, da qual já recusara um convite em 1982.

Benfica seguiu o jornalismo esportivo devido à sua antiga paixão pelo esporte. Além do pai, Sílvio Benfica procurou se espelhar em dois famosos radialistas gaúchos: Cândido Norberto e o narrador copa do mundo de 66, a primeira que ouviu pelo rádio, Mendes Ribeiro. Segundo ele, se referindo a Cândido Norberto, hoje, ouvir elogios de quem, um dia, foi um ídolo, é gratificante. Nos mais de 30 anos de carreira, o jornalista afirmou não ter tido muitos episódios de conflitos dentro de campo. No entanto, dois em especial marcaram a vida do filho do seu Argeu. Em 1995, o goleiro Danrlei, do Grêmio, se mostrou insatisfeito com alguns comentários de Benfica e teria dito para que um segurança do clube o agredisse. Uns anos antes, em 1990, teve também um atrito com o então técnico gremista, Evaristo de Macedo. Hoje, mais maduro, Benfica acredita que esses conflitos são superados pelo tempo, fazendo com que o profissional do rádio não cometa novamente os mesmos erros do passado.

Ele crê que o microfone é um instrumento poderoso demais, que pode até destruir uma pessoa. Portanto, procura não abusar desse poder, sempre se policiando, buscando não ultrapassar limites. Em 1990, Sílvio Benfica faria a cobertura de sua primeira Copa do Mundo, na Itália. Entretanto, alguns problemas internos da Rádio Gaúcha, fizeram com que ele fosse um dos vetados de cobrir o evento. Este foi um dos momentos mais difíceis de sua já longa carreira. Mas, por outro lado, serviu para que crescesse, tanto no âmbito pessoal quanto no profissional.

Desde 06 de abril de 1993, passou a apresentar o programa Plantão Gáucha, onde teve a oportunidade de expandir seus conhecimentos de jornalismo. Dentro da profissão, Benfica possui imenso apego ao colega Antônio Carlos Macedo. Com ele, já fez diversas coberturas futebolísticas, inclusive as que mais marcaram sua carreira, as copas do mundo. O jornalista de Osório chega a brincar que, depois da própria mulher, Macedo foi a pessoa com quem mais dormiu, já que, muitas vezes, tiveram que cobrir eventos como dupla de repórteres.

Para Benfica, desde 1994, quando transmitiu sua primeira copa do mundo, ele vem vivendo a melhor fase na carreira. Apesar de, segundo o próprio Benfica, ser o jornalista que mais tempo ocupa o microfone da Rádio Gaúcha, ele diz que não pensa em parar tão cedo e nem pensa em parar de almejar novos espaços dentro da emissora. Mesmo que não consiga conquistar estes espaços, pretende estar sempre se aperfeiçoando e se informando, tanto dentro quanto fora da área esportiva. Mesmo com todo o tempo que trabalha durante a semana, o famoso jornalista da Rádio Gaúcha planeja todo final de ano a famosa festa da jovem guarda em sua casa em Osório. Ele acredita que a tradicional festa faz bem tanto para o Sílvio Benfica como profissional quanto para o Sílvio Benfica como pessoa.