Antônio AugustoApresentação

Boa parte da forma e da agilidade do atual rádio esportivo brasileiro deve-se a Antônio Augusto dos Santos, gaúcho nascido em Marcelino Ramos, no ano de 1937, filho de pai árabe e mãe romena, apesar do sobrenome pouco peculiar. Conhecido como o criador do plantão esportivo, Antônio Augusto teve a vida ligada ao rádio muito antes de pensar em inovar as jornadas esportivas, ainda na juventude, na rádio Marcelino Ramos. Aliás, como ele mesmo diz, toda a sua vida a da sua família está ligada ao rádio.

Mesmo com aparente vocação para seguir o seu destino como radialista, Antônio Augusto mudou-se para Porto Alegre, no final dos anos 50, com um objetivo claro. Queria fazer Medicina. Chegou a tentar duas vezes a carreira médica, mas o rádio parecia persegui-lo. Estudando no IPA, ele fazia cursinho pré-vestibular no mesmo prédio em que ficava instalada a rádio Difusora, em 1960. A simples proximidade, porém, não seria a responsável pela sua entrada na profissão. A oportunidade para o início viria em novembro do mesmo ano, de forma inusitada e com uma pequena ajuda da empregada doméstica que trabalhava no apartamento em que o jovem estudante morava.

Logo no começo, Antônio Augusto participou, como setorista do Cruzeiro, de Porto Alegre, no programa Parada F 9, na companhia de Armínio Antônio Ranzolin, Lasier Martins, Lupi Martins, Estevam Romano e Paulo Lauxen. A idéia de criar o plantão esportivo viria em 1961, na mesma Difusora, em uma das viagens da equipe para cobrir uma partida no Interior. Contra as dificuldades tecnológicas e a má vontade da empresa, ele comprou a briga a bancou a criação do plantão. As suas brigas são necessárias até mesmo no momento de comprovar que é, realmente, o primeiro plantão do rádio brasileiro. Tanta batalha pelo reconhecimento também já lhe causou mágoa, como contra a Revista Placar, da qual foi um dos maiores colaboradores.

Em 1964 o criador do plantão trocou a Difusora pela rádio Farroupilha, levando consigo o programa que fazia à noite, além das participações nas jornadas. Nessa emissora, Antônio Augusto começou a criar o seu vasto arquivo de resultados, em 1967, com o conhecido “Robertão”, o Campeonato Brasileiro da época. Em 1971 o seu plantão mudou novamente de casa, e foi para a rádio Guaíba, então a responsável pela maior audiência do Estado. Apoiado pela criação da Loteria Esportiva, que passou a figurar nos seus programas e o tornou especialista nos palpites, ele pode observar a aceitação do público ao seu trabalho.

A glória da carreira de Antônio Augusto viria em 1986, quando, depois de uma breve e conturbada passagem pela rádio Gaúcha, entre 1983 e 1985, voltouà Guaíba para ir à sua única Copa do Mundo como o primeiro plantão presente em uma copa em toda a história. No mesmo ano, ele trocava a rádio Guaíba pela Bandeirantes, onde ficou até 1989, com uma despedida mais uma vez corajosa, comprovando a sua personalidade forte sempre presente na carreira. Depois de um longo período na televisão, Antônio Augusto está desde 1999, com o plantão da noite, na rádio Pampa.